segunda-feira, 9 de outubro de 2017

CIDADES: Grupo de Mogi teme que obras no Taboão seja retomada do projeto do aterro sanitário

 6 de outubro de 2017  Cidades, QUADRO DESTAQUE  
Terreno antigamente foi cotado para receber o aterro. (foto: Divulgação)
Terreno antigamente foi cotado para receber o aterro. (foto: Divulgação)

NATAN LIRA
Uma equipe da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente deve verificar, in loco, a denúncia sobre uma obra no Distrito do Taboão, área cotada no passado para receber um aterro sanitário em Mogi. As informações são do titular da Pasta, Daniel Teixeira de Lima. Na última quinta-feira, um grupo formado por representantes de 15 entidades da Cidade se reuniu após a notícia da movimentação de terra naquela área e da possível falta de licenças ambientais.

Segundo o líder comunitário Silvio Marques, a população daquela região ficou preocupada com a movimentação durante a madrugada e teme que seja a retomada do projeto do aterro. “Os moradores do entorno foram atrás dos funcionários que estão trabalhando lá e eles disseram que no local será um porto de areia e extração de minério, mas isso é o que eles inventaram para os trabalhadores. Temos fotos que fizemos de lá e é grande a movimentação de terra” enfatiza Silvio.


Para o presidente da Comissão de Meio Ambiente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Mogi, José Antônio da Costa, é de se estranhar uma obra feita durante a madrugada. No entanto, segundo ele, ainda é cedo para falar em aterro sanitário. “Nós vamos encaminhar um requerimento à Prefeitura e à Cetesb solicitando informações sobre a obra naquele local”, disse.

Segundo Marques, ele conversou com o vice-prefeito Juliano Abe (PSD) sobre o assunto e fez um requerimento. “Isso aconteceu há mais de uma semana e até agora a Prefeitura ainda não nos respondeu”, reclama ele, que enviou foto a O Diário mostrando a movimentação na área há um mês.

O secretário da Pasta confirmou ter recebido o documento no final da tarde da última quarta-feira e disse que tem até 30 dias para responder. “Evidentemente, vamos dar uma resposta antes disso. Na semana que vem um técnico vai até lá”, afirmou.

Teixeira disse que seguirá todos os protocolos para descobrir ao que se deve a possível movimentação no local e que pedirá, ainda, informações da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) se existe algum pedido de licença requerido para o local. “Nós estamos estudando alternativa tecnológica para o lixo e pensando de forma regional. Das 11 cidades, cinco ainda não tinham um plano de resíduos. A gente entende que esta tecnologia tem que ser para todos os municípios da Região. Temos quase 3 milhões de habitantes, são quase três milhões de toneladas de lixo diário e estamos pensando no que fazer para resolver o problema ecologicamente”, enfatizou.

Fonte:O Diário de Mogi

Idosos são vítimas de estelionato

8 de outubro de 2017  Cidades  
AVISO Delegada D’Antracoli diz que idosos facilitam as ações
AVISO Delegada D’Antracoli diz que idosos facilitam as ações

NATAN LIRA
No mês do Idoso, um alerta à população da Terceira Idade: 25% dos boletins de ocorrência registrados na Delegacia de Polícia de Proteção ao Idoso (Depi) de Mogi das Cruzes são de estelionato. A delegada titular Vera D’Antracoli atribui os números a um hábito desta parcela da população, de gostar de conversar e falar até mesmo com pessoas desconhecidas e nisso, por ingenuidade, acabam revelando informações pessoais que os oportunistas usam contra eles. “A gente sabe que é uma tradição deles agirem assim. Foram criados em outro momento, outra cultura. Mas muita coisa mudou. Eles chegam a passar telefone e estas pessoas ficam ligando, criam um vínculo e dão o golpe”, observa.

De janeiro a setembro deste ano, a Delegacia havia registrado 116 boletins de ocorrência, 30 deles versaram sobre estelionato. Apesar deste não ser um tipo de ocorrência que a Depi investiga, Vera sente-se no direito de ajudá-los naquele momento e depois encaminhar o boletim à unidade de referência. “A nossa atividade gira em torno do Estatuto do Idoso, que lista 13 crimes, a maior parte deles contra a honra (calúnia, difamação e injúria), além do abandono, destrato do poder público, entre outros.”, conta.
A delegada ressalta que chama a atenção para os valores perdidos nestes casos, geralmente economias de
AVISO Delegada D’Antracoli diz que idosos facilitam as ações


Acessibilidade é desafio a ser encarado em Mogi

Em 2050, 27% da população mogiana será idosa, é o que aponta a projeção da Prefeitura de Mogi com base nos dados da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade). Os números mostram que em 2011 a Cidade tinha 41.455 pessoas na Terceira Idade, 10,58% da população total. Hoje, são 53.334, (12,71%).

Atualmente, Mogi oferece 100 vagas em Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI). A lista de espera, considerando os candidatos devidamente identificados e cadastrados, é de aproximadamente 20 pessoas.

Para a delegada titular da Delegacia de Polícia de Proteção ao Idoso (Depi), Vera D’Antracoli, a Cidade está se preparando para o futuro, visto o combo de equipamentos para atender às pessoas da Terceira Idade. Ela lista a Vila Dignidade, o Centro Dia do Idoso e o Pró-Híper e a Depi como projetos assertivos, pensados para atender a crescente demanda da população acima dos 60 anos. O ponto fraco, segundo ela, é a falta de acessibilidade, sobretudo na região central. “São calçadas estreitas e que exigem esforços daqueles que, muitas vezes, têm mobilidade reduzida”.

A secretária municipal de Assistência Social, Neusa Marialva, disse que criar políticas públicas para a população idosa é um desafio para as grandes cidades, visto o desafio de atender esta população, em crescimento constante, com qualidade de vida para envelhecer de forma ativa. “Pensando nisso, a gente tem a Coordenadoria do Idoso, dentro da pasta, para buscar uma série de atividades de integração e ressocialização. Além disso, o Estatuto serve hoje como uma bíblia e defende muito bem os integrantes desse grupo”, conta. (N.L.)uma vida inteira e até mesmo bens materiais. “Infelizmente, em pelo menos 50% dos casos a ganância deles também contribui para o desfecho desfavorável a eles. Os oportunistas falam sobre prêmios e oferecem dinheiro fácil e eles acabam caindo”, pontua.
Mas, na visão da policial civil, a mais traumática das situações vivenciadas pelos idosos é o mau trato de parentes e conhecidos. “O tempo passa e ele fica com esta ferida. Nem o trabalho sério da Polícia e Justiça conseguem dirimir esta mágoa, e esta vítima vai ter que continuar convivendo com este parente. É a história do cristal quebrado; jamais é consertado”, pontua.

Já sobre as ocorrências em casas que abrigam as pessoas da Terceira Idade, Vera diz que existem alguns casos, mas são em minoria. “O bom trabalho de fiscalização feito pela esfera administrativa – Prefeitura e Vigilância Sanitária – favorece para que não precise intervenção da Polícia nesses abrigos” conta.
O perfil do denunciante, há quatro anos, analisa, era em sua maioria de mulheres, mas este cenário está mudando. Para ela, isso é reflexo do trabalho realizado pelo seccional Marcos Batalha. “Ele tem um olhar diferenciado e envia para cá os profissionais habilitados para lidar com o idoso. Porque aqui ele quer conversar, contar toda a história dele, para depois chegar ao crime”, diz.

Por fim, Vera orienta que o fator preponderante é a denúncia. Ela diz que após a vítima acionar o órgão competente, as agressões cessam. “Não temos, nestes quatro anos, alguma reincidência. Mas a maior parte dos crimes depende da manifestação do idoso. No primeiro momento, eles aceitam, mas depois vêm aqui pedir para retirar a denúncia. Só que depois que a gente fez o registro, não tem mais como voltar. Com o resultado da ação, eles acabam entendendo que foi o melhor”, conta.

Fonte:O Diário de Mogi
QUADRO DESTAQUE:
Lembranças dos tempos das linotipos, pelo jornalista Luiz Vita

 8 de outubro de 2017  QUADRO DESTAQUE  
Jornalista recorda a época em que chegou a Mogi das Cruzes para estudar e acabou se tornando editor de O Diário

O Diário inicia hoje a publicação de uma série de crônicas do jornalista Luiz Vita, na sequência aos textos que marcam a celebração do 60º aniversário de fundação do jornal. Vita iniciou sua carreira conosco, em meados da década de 1970, ao tempo em que estudava na Universidade de Mogi das Cruzes. Em São Paulo, deu sequência ao trabalho, atuando em algumas das maiores redações do País.
MEMÓRIAS Vita começa a lembrar os tempos em que viveu em Mogi estudando e fazendo jornalismo

MEMÓRIAS Vita começa a lembrar os tempos em que viveu em Mogi estudando e fazendo jornalismo


Diário de um jornalista de província – 1

Vou contar o que aconteceu, enquanto ainda lembro como aconteceu.

Desembarquei em Mogi em 1974 para estudar jornalismo. A Cidade parecia uma miniatura de Ouro Preto. Casarões coloniais com grandes janelas azuis de madeira, ruas de paralelepípedo, praças com coreto, um grande salão de sinuca, dois ou três poetas municipais, um velho cronista que havia sido ferroviário, negro e corpulento como John Coltrane, uma igreja matriz com seus pombos e um jornal que, eu ainda não sabia, passaria a chefiar um ano depois. Tinha 18 anos e, na falta de Paris, Mogi era uma festa.

Quem me levou para o jornal foi o Murilo, um repórter de polícia da velha guarda, que eu conheci no ponto de ônibus quando voltava da faculdade para casa, em São Paulo. Ele era da geração formada na raça e eu estava ali para aprender num banco de escola.

Ele me apresentou ao Tote, de nome Tirreno, como o mar, que banha uma parte da Sicilia, um italiano bonachão, que fazia o jornal com a ajuda de três velhos amigos e alguns gráficos. Quando me recebeu, ele perguntou à queima roupa:

- De repente se escreve junto ou separado?


- Junto, respondi com a convicção que ainda é uma marca de minha atormentada e analfabeta personalidade.

Fui contratado na hora. Claro que o Tote sabia que de repente se escreve separado, mas guardou esse segredo enquanto viveu e eu jamais esqueci de sua generosidade.

Ganhava 50 cruzeiros por semana, que recebia da Lela, que era da família de Tote, e fazia os pagamentos. Era pouco, muito pouco, mas alguns meses depois eu fui registrado em carteira com um salário melhor. [Continua no próximo domingo]

(Luiz Vita)

Fonte:O Diário de Mogi

Servidores: Mais de 250 concorrem ao prêmio Prata da Casa

Mais de 250 trabalhos concorrerão ao Prêmio Prata da Casa, iniciativa da Prefeitura de Mogi das Cruzes para valorizar os servidores públicos municipais, premiando aqueles que apresentarem ideias e resultados inovadores
Foto: Juliana Oliveira


Melo: 'Queremos melhor a qualidade de vida deles'.
Mais de 250 trabalhos concorrerão ao Prêmio Prata da Casa, iniciativa da Prefeitura de Mogi das Cruzes para valorizar os servidores públicos municipais, premiando aqueles que apresentarem ideias e resultados inovadores. As propostas vencedoras serão colocadas em prática, trazendo benefícios aos funcionários e, consequentemente, melhorias na prestação de serviços para toda a população. Em números exatos, são 256 inscrições.
O concurso está na fase de habilitação (até 10 de outubro). As próximas etapas serão apresentação e avaliação (12 de outubro a 14 de novembro) e a divulgação dos resultados, em evento no dia 23 de novembro.
"A Prefeitura de Mogi das Cruzes tem ótimos servidores e podemos aproveitar suas ideias de inovação. Nosso objetivo é melhorar a qualidade de vida das pessoas, dentro daquilo que é de responsabilidade do poder público", afirmou o prefeito Marcus Melo, no lançamento do concurso, em julho.
Participam do concurso servidores da Prefeitura, do Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) e Instituto de Previdência Municipal (Iprem) de Mogi das Cruzes, com inscrições individuais ou em grupos de até cinco funcionários.
A premiação será em dinheiro: R$ 7 mil para a ideia vencedora, R$ 5 mil para a segunda colocada e R$ 3 mil para a terceira. Para os demais, até o décimo lugar, haverá menção honrosa.
Áreas de atuação
As ideias precisam ser enquadradas nas seguintes áreas: Organização interna da administração; Mobilidade e acessibilidade na cidade; Desenvolvimento tecnológico; Desenvolvimento sustentável; Ações de lazer, esporte, cultura e turismo regional; Melhoria do espaço urbano e Empreendedorismo.
A comissão julgadora é formada por dois servidores públicos municipais, um representante da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Mogi da Cruzes (Aeamc), um da Universidade Braz Cubas (UBC), um da Universidade de Mogi das (UMC), um da Faculdade de Tecnologia (Fatec) e um da Sociedade Civil na área de administração pública.

Fonte:Mogi News

Abastecimento: Semae investirá R$ 10 milhões em dois reservatórios de água

Obras começam em quatro meses, após licitação; 60 mil pessoas de Jundiapeba e Vila Oroxó serão abastecidas
Foto: Juliana Oliveira


Segundo Beono, diretor do Semae, investimento trará uma reserva maior de água
O Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) de Mogi das Cruzes investirá cerca R$ 10 milhões na construção de reservatórios de água nos bairros Jundiapeba e Vila Oroxó. A expectativa é de que o investimento beneficie mais de 60 mil pessoas, incluindo moradores de localidades adjacentes. A previsão é de que as obras sejam iniciadas em quatro meses.
O início dos trabalhos depende da conclusão do processo licitatório que escolherá a empresa que ficará responsável pela construção das bases das estruturas. A contratação, que encontra-se em andamento, tem valor estimado em R$2,4 milhões. Destes, R$ 1,8 milhões são recursos provenientes do Governo Federal.
"A licitação foi aberta prevendo o acerto dos terrenos onde as estruturas serão instaladas, bem como a construção das bases dos reservatórios. A nossa expectativa é de que todo o trâmite, incluindo o certame e a homologação da empresa vencedora, seja concluído em quatro meses. Depois disso, os trabalhos poderão ser iniciados", explicou o diretor-geral do Semae, Paulo Beono Júnior.
Em Jundiapeba, será implantada uma estrutura com capacidade de reservação de 4 milhões de litros. Ao todo, 41 mil moradores de todo o distrito serão beneficiados. Já na Vila Oroxó, serão construídos dois reservatórios, possibilitando a reserva de 2 milhões de litros de água. Entre os contemplados pelo investimento estão 20 mil cidadãos que vivem no local e também nos bairros vizinhos como Jardim Maricá e Ponte Grande.
Na prática, para os munícipes, uma das principais vantagens que serão geradas é a redução das chances de faltar água em casa. "No caso de Jundiapeba, por exemplo, atualmente o abastecimento é feito por meio de linha de recalque. Um sistema de bombeamento leva água até o bairro. Com o reservatório, a gente passa a ter uma reserva. Então, caso precise ser feito alguma interrupção no fornecimento pra alguma manutenção, as casas não ficarão sem água de imediato", explicou Beono.
A implantação das estruturas será feita em duas etapas. A primeira é a construção das bases, que deverá ser executada em um prazo de dez meses. Já a segunda é a montagem dos reservatórios. Esta é resultante de um investimento de R$ 7,6 milhões, dos quais R$ 4,1 referem-se à Vila Oroxó e R$3,5 milhão à Jundiapeba. "Os reservatórios já estão contratados. O processo de montagem é semelhante ao executado no Centro de Preservação da Vila Moraes, na Vila Pomar", esclareceu o diretor.

Fonte:Mogi News

planejamento: Audiência pública do PDUI será terça

Plano diretivo estratégico elaborado para toda a Região Metropolitana tem objetivo de organizar e disciplinar seu processo de desenvolvimento
A Prefeitura de Mogi das Cruzes receberá os técnicos da Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano (Emplasa) para uma audiência pública do Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado (PDUI) no dia 17 de outubro, às 18 horas, em seu auditório. O PDUI é um plano diretor estratégico elaborado para toda a Região Metropolitana, que vem sendo construído de forma participativa e com o objetivo de organizar e disciplinar seu processo de desenvolvimento. Entre os dias 16 de outubro e 14 de novembro, serão realizadas audiências em todas as cidades da região.
O secretário municipal de Planejamento e Urbanismo, Claudio de Faria Rodrigues, explica que a construção do PDUI acontece de forma democrática e com a participação de toda a sociedade. "A audiência é aberta ao público e será uma ótima oportunidade para que as pessoas recebam informações sobre o que já foi discutido até o momento, além de também poderem apresentar propostas, ajudando a construir um plano que atenda ao interesse público, contemplando todos os segmentos da sociedade", explica.
Ele lembra que o Estatuto da Metrópole (Lei Federal 13.089, de janeiro de 2015) determinou que todas as regiões metropolitanas do país aprovem seus PDUIs até o início de 2018. No caso da Região Metropolitana de São Paulo, o trabalho de elaboração do plano envolve o Governo do Estado, representado pela Emplasa, e as prefeituras dos 39 municípios que integram a região, consórcios como o Condemat e representantes do setor produtivo e da sociedade civil.
Em Mogi das Cruzes já foram realizadas duas reuniões sobre o PDUI. A primeira aconteceu no dia 14 de março de 2016, no Theatro Vasques, quando o plano foi apresentado ao público. Já no dia 9 de junho do ano passado, na Escola de Governo e Gestão, ocorreu uma reunião de mobilização, que contou com a presença de representantes de entidades e associações. Já no dia 12 de janeiro deste ano, o prefeito Marcus Melo participou de um encontro técnico sobre o PDUI na sede da Emplasa, em São Paulo, o primeiro do tipo este ano.
"A audiência do próximo dia 17 de outubro dará continuidade a este processo e fará parte de uma série de reuniões do tipo que acontecerão em toda a região do Alto Tietê. A presença dos cidadãos é fundamental e todos estão convidados a participar", reforma Rodrigues. Na prática, segundo o secretário, o plano definirá projetos e ações que privilegiem as potencialidades e características de cada município e que sejam capazes de impulsionar e estruturar as o desenvolvimento metropolitano sustentável - garantindo a competitividade econômica, reduzindo as desigualdades e melhorando as condições de vida da população.
No caso da Região Metropolitana, considerando a diversidade do território, esse desafio é ainda maior. A proposta da Emplasa - que será discutida e aprimorada com os municípios e consórcios - leva em conta a necessidade de fazer prognósticos de curto, médio e longo prazos, definir os temas estratégicos para o desenvolvimento regional e o papel dos municípios que compõem o conglomerado, entre outros pontos.

Evento que contará com a presença da população será realizado no auditório da Prefeitura, às 18 horas

Rodrigues ressaltou a participação popular

 Fonte:Mogi News

Transporte: Câmara solicita instalação de posto do cartão BOM em Mogi

Unidade foi fechada há alguns anos, segundo vereador mogiano; serviço pode estar disponível no Poupatempo
A Câmara de Mogi das Cruzes pediu que o governo do Estado instale um Posto de Atendimento do Bilhete de Ônibus Metropolitano (BOM) no município. O cartão é utilizado nos ônibus intermunicipais que saem da cidade ou atravessam Mogi. O vereador Clodoaldo de Moraes (PR), autor da moção, lembrou que a cidade contava com um posto que foi desativado há algum tempo.
De acordo com o republicano, muitas pessoas reivindicam a instalação de um posto do cartão BOM na cidade, não apenas para realizar as recargas, mas para buscar serviço e fazer o cadastro. "Tínhamos em Mogi um posto do cartão BOM, mas há cerca de dois ou três anos ele foi fechado. Quem utiliza o cartão precisa se dirigir para o Tatuapé (na capital) ou Arujá, que são os locais mais próximos", ressaltou. Há ainda uma unidade em Suzano.
Moraes argumentou que a distância é o principal obstáculo para as pessoas que precisam utilizar o serviço. "Os idosos e as pessoas com deficiência são os principais prejudicados, pois tem que deslocar para outras cidades para receber atendimento. Para se cadastrar, por exemplo, é preciso levar uma série de documentos. Tem gente que vai três ou quatro vezes para conseguir fazer o cadastro. Muitas desistem pela dificuldade e acabam não aproveitando o benefício que tem direito", disse.
O vereador acrescentou que Mogi é um ponto estratégico para receber o serviço: "É final da linha do trem. A locomoção é facilitada. Existem muitas pessoas de Guararema, Biritiba Mirim e Salesópolis que precisam do serviço e teriam facilidade de vir para Mogi. Sabemos que existe a possibilidade de fazer as recargas pela Internet, mas a tecnologia está longe de atingir todas as pessoas. Parte da população ainda prefere utilizar o serviço no balcão de atendimento".
Na região, o atendimento do cartão BOM ocorre em Suzano no Terminal Vereador Diniz José dos Santos Faria, na rua Jorge Bey Maluf, de segunda-feira a sábado, das 8 às 17 horas. Outra loja está localizada em Arujá, na avenida dos Expedicionários, 1.056, no centro. O local opera de segunda-feira das 8 às 17 horas e aos sábados das 8 às 12 horas.
Segundo a Autopass, responsável pelo serviço do cartão BOM, "há negociações para o atendimento no Cartão Bom em um Poupatempo da região. Clientes de Mogi podem solicitar atendimento de emissão de cartão e recarga nas unidades do Poupatempo em Itaquera ou Guarulhos, nos quiosques do metrô e da CPTM". Todos os endereços estão disponíveis no site www.cartaobom.com.br.
Posto de Atendimento também está instalado no Terminal Vereador José dos Santos Faria, em Suzano

Moraes ressaltou as dificuldades de acesso

Fonte:Mogi News

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Instalação de um Sesc em Mogi das Cruzes é aprovada durante audiência pública População presente abriu debate sobre vários assuntos e teve a oportunidade de colocar sua opinião sobre o tema

Por de Mogi03 OUT 2017 - 20h01

Prefeito de Mogi das Cruzes, Marcus Melo (PSDB), participou da abertura da audiência e, em sua fala, reiterou que é favor de um Sesc para a cidade
Foto: Ney Sarmento/PMMC

Um total de 220 votos a favor, seis contra e 23 abstenções. Este foi o resultado da audiência pública, realizada na noite desta segunda-feira (2), para debater o projeto de instalação de uma unidade Sesc em Mogi das Cruzes. O Theatro Vasques, que tem capacidade para receber 300 pessoas, ficou praticamente lotado para esta, que foi mais uma etapa das consultas públicas realizadas na cidade a respeito do tema.

O prefeito de Mogi das Cruzes, Marcus Melo (PSDB), participou da abertura da audiência e, em sua fala, reiterou que é favor de um Sesc para a cidade. “Sou o defensor número 1 de um Sesc em Mogi das Cruzes, pois entendo os benefícios que um equipamento como este traria à população da cidade. Logo, deixo aqui registrado mais uma vez meu posicionamento favorável, lembrando que as negociações estão ocorrendo de forma muito aberta a transparente”, destacou.

O secretário municipal de Cultura e coordenador municipal de Turismo, Mateus Sartori, conduziu a parte técnica da audiência pública e destacou os atributos e características de uma unidade Sesc. A nova unidade, conforme explanado por Sartori, teria um investimento aproximado de R$ 120 milhões na construção, mais R$ 60 milhões aplicados por ano em programação cultural, esportiva, social e turística. Os recursos, como ressaltado pelo secretário, partiriam inteiramente do Sesc, não da Prefeitura.

No discurso, ele lembrou que uma unidade Sesc geraria aproximadamente 300 empregos diretos e 200 indiretos, contribuindo, logo, para a economia local. E o local já definido pelo Sesc como mais adequado para receber o equipamento é a área onde hoje funciona o Centro Esportivo do Socorro. Para fazer a cessão do tereno, os departamentos jurídicos da Prefeitura, Câmara Municipal e Sesc estão em tratativas.

Sartori apresentou também um estudo de atendimento ao público, comparando o número de pessoas beneficiadas atualmente no Centro Esportivo do Socorro com quantos poderiam se beneficiar com um Sesc. São, atualmente, cerca de mil usuários/mês. Já com um Sesc ali implantado, a projeção é atender até 30 mil pessoas/mês.

A população presente abriu debate sobre vários assuntos e teve a oportunidade de colocar sua opinião sobre o tema. O arquiteto Paulo Pinhal, por exemplo, defendeu a importância de um Sesc para a cidade, lembrando que trata-se de um equipamento de transformação social.

Já Jair Pedrosa, que comanda, junto a Ribamar Junior, a página “Sesc em Mogi Já”, no Facebook, defendeu a relevância de um Sesc, lembrando que uma unidade da rede oferece mais de 50% de suas atividades gratuitamente, independentemente de o usuário ser ou não ligado à área do comércio. Falou também sobre a importância da localização escolhida para a unidade, por ser muito acessível e já atendida pelo sistema de transporte coletivo municipal.

Mário Berti, que também é presença constante nos debates sobre assuntos de interesse geral da cidade, lembrou que a cidade está se modernizando e o que Sesc dialoga com este universo. Pontuou ainda que atualmente uma cidadedesprovida de universidades, equipamentos de cultura e mobilidade está fadada à retração.

Já Silvio Marques fez sua defesa a partir de um relato pessoal, contando que já fez parte de grupos de teatro que circularam em vários teatros Sesc. Segundo ele, a experiência foi transformadora e garantiu um grande crescimento pessoal.

Jocimar Valuci de Figueiredo foi um dos poucos que se declarou contra um Sesc. Seu posicionamento, contudo, foi baseado em apenas um aspecto: a perda dos campos de futebol do Centro Esportivo do Socorro. A ele, foi explicado que a cidade dispõe de muitas outras quadras, campos e espaços esportivos de uma forma geral, como o Parque da Cidade, inaugurado há menos de um ano e também os diversos espaços feitos em Jundiapeba, como a Praça da Liberdade.

Sobre o questionamento do que vai acontecer com as pessoas que já fazem atividades no Centro Esportivo do Socorro, que é um dos mais recorrentes dentro de toda essa discussão, o próprio prefeito destacou que ninguém ficará desassistido. Muitas atividades hoje oferecidas no Centro Esportivo serão absorvidas pelo Sesc. Já as que não puderem ser absorvidas, serão transferidas para outro local. Nenhum serviço, logo, será suspenso ou paralisado.

A audiência pública foi mais uma etapa dos debates públicos que estão sendo realizados, no âmbito do programa Diálogo Aberto, sobre o assunto Sesc. Até o momento, nove reuniões já foram realizadas e todas tiveram votação favorável ao Sesc. Os encontros foram com os conselhos municipais de Turismo, da Cidade, de Assuntos da Pessoa com Deficiência, de Assistência Social, dos Direitos da Criança e do Adolescente e da Promoção da Igualdade Racial. A Associação Mogicruzense de História, Artes e Letras (Amhal) também participou dos debates.

O próximo encontro está marcado para este sábado (07/10), às 10h30, no Centro Cultural de Mogi das Cruzes, com o Conselho Municipal da Juventude. Já no dia 18 de outubro, às 8h30, haverá mais um, com o Conselho Municipal de Educação. Maia uma reunião está prevista para acontecer, porém ainda sem data e horário definidos, com representantes da rede hoteleira da cidade. 

Fonte:Diário de Suzano

Câmara de Suzano vota divulgação de “Disque-denúncia contra a pedofilia” nesta quarta

 
Câmara também sedia nesta quarta audiência pública para discussão sobre o Plano Plurianual (PPA) para o período de 2018 a 2021
Foto: Sabrina Silva/Divulgação

A Câmara de Suzano votará nesta quarta-feira (4) o projeto de Lei nº 021/2017, do vereador Alceu Matias Cardoso (PRB), o pastor Alceu Cardoso, que dispõe sobre a divulgação do “Disque-denúncia contra a pedofilia” nos uniformes escolares dos alunos matriculados na rede pública do município. A sessão ordinária tem início às 18 horas, no Palácio “Deputado José de Souza Candido”.

O segundo item da pauta é o projeto de Lei nº 028/2017, de autoria do vereador Joaquim Rosa (PR), que denomina rua “Carlos Daniel dos Santos” a atual rua 03, do loteamento Jardim Esperança, localizado no distrito de Palmeiras.

As demais proposituras são moções, sendo quatro de aplauso e uma de repúdio.

A moção de aplauso de autoria do vereador Leandro Alves de Faria (PR), o Leandrinho, parabeniza o secretário de Desenvolvimento Econômico e Geração de Emprego, André Maurício Loducca, pelo excelente trabalho desenvolvido.

De autoria do vereador Marcos Antonio dos Santos (PTB), o Maizena Dunga Vans, são três moções de aplauso. A primeira é destinada a João Bezerra de Lima, o pastor João, fundador da igreja evangélica dos Primogênitos, localizada na Rua José Pereira Pita, 105, no bairro Miguel Badra Baixo.

A segunda moção homenageia o prefeito de Itaquaquecetuba, Mamoru Nakashima (PSDB), pela inauguração do shopping “Itaquá Garden”, realizada no dia 25 de abril, considerando que o espaço gera emprego e renda para munícipes de Itaquá e Suzano.

A terceira parabeniza Luiz Carlos Geraldo, o professor Luizinho, diretor de manutenção regional de Palmeiras, pelo excelente trabalho, organização, empenho e dedicação.

A única moção de repúdio da pauta é contra o Departamento de Estrada e Rodagem (DER), pelos péssimos serviços prestados na cidade, de autoria do vereador André Marcos de Abreu (DEM), o Pacola.

Audiência pública

A Câmara também sedia nesta quarta audiência pública para discussão do projeto de Lei nº 067/2017, de autoria do Executivo, que estabelece o Plano Plurianual (PPA) para o período de 2018 a 2021, e define metas e prioridades da administração pública para o exercício do próximo ano. A atividade tem início às 14 horas, no Palácio “Deputado José de Souza Candido”.

Fonte:Diário de Suzano

CIDADES: Novo equipamento deve facilitar plantio de árvores em Mogi

2 de outubro de 2017  Cidades, QUADRO DESTAQUE  
Um dos locais escolhidos pela Prefeitura é a Avenida Yoshiteru Onishi, nos bairros Mogilar e Nova Mogilar, que em junho ganhou ipês amarelo, rosa, roxo, araucárias, araticuns e araçás. (Foto: Edson Martins)
Um dos locais escolhidos pela Prefeitura é a Avenida Yoshiteru Onishi, nos bairros Mogilar e Nova Mogilar, que em junho ganhou ipês amarelo, rosa, roxo, araucárias, araticuns e araçás. (Foto: Edson Martins)

LARISSA RODRIGUES
Dentro do programa Mogi+Verde, 6.100 novas árvores foram plantadas em Mogi das Cruzes desde março deste ano. Um dos locais escolhidos pela Prefeitura é a Avenida Yoshiteru Onishi, nos bairros Mogilar e Nova Mogilar, que em junho ganhou ipês amarelo, rosa, roxo, araucárias, araticuns e araçás. Agora, equipadas por um novo maquinário, que deve chegar hoje, as equipes da Administração Municipal poderão dar continuidade ao trabalho de maneira mais prática e eficiente. Assim, a próxima via contemplada será a Avenida Kaoru Hiramatsu, na região do Oropó.

Por lá, serão plantados apenas a mesma espécie arbórea. “Será uma avenida de ipês e, talvez, este plantio comece ainda esta semana. Nós só precisamos ver se conseguiremos, porque a intenção é já plantar árvores grandes, de aproximadamente dois metros”, explicou o secretário municipal de Verde e Meio Ambiente, Daniel Teixeira de Lima.


Com o novo equipamento, um perfurador de solo que foi adquirido por meio da compensação ambiental, este trabalho poderá ser feito mais rapidamente. “Manualmente conseguíamos abrir de 25 a 30 berços (covas), com a máquina este número pode chegar a 400 em aproximadamente 3 horas. Por isso, agora com este maquinário, o plantio vai acontecer com muito mais facilidade”, disse o responsável pela Pasta.

O arquiteto e paisagista Miguel Campanelli concorda que a arborização em áreas urbanas é de extrema importância para a Cidade. Entretanto, afirma que tudo deve ser feito com muita cautela. “Isso não é algo que se pode fazer da noite para o dia, é preciso ter todo um planejamento, porque para que uma avenida receba o plantio é preciso que uma série de fatores sejam analisados. Como, por exemplo, a fiação e a tubulação próximas”, explicou.

Para que a arborização ocorra de maneira consciente também pela população, a Administração Municipal lançou no final de agosto uma cartilha com dicas e orientações sobre o plantio de árvores na área urbana. Ela mostra, por exemplo, que devem passar por análise da Secretaria os pedidos de poda ou supressão de árvores, localizadas na região urbana e fora da Área de Preservação Permanente (APP), sempre de acordo com a legislação vigente. O processo inclui solicitação, vistoria técnica e, de acordo com o tipo de árvore, ações complementares como compensações ambientais. O documento também informa que, nos casos em que houver risco iminente de queda, é necessário informar o Corpo de Bombeiros ou a Defesa Civil.

Os especialistas concordam que o plantio seja essencial para a Cidade. “Além da estética, que a gente consegue perceber agora, com a entrada da primavera, e vê o quanto fica mais bacana. As árvores conseguem também reduzir as ilhas de calor, aumentam as áreas sombreadas e reduzem o monóxido de carbono. Elas ainda atraem pássaros para o Centro, ajudando formar o corredor ecológico, com aves vindas da Serra do Itapeti, indo para a Serra do Mar”, falou Lima.

“É sempre bom lembrar que estas árvores devem ser plantadas em locais que tenham condições de crescer e sobreviver. Mogi tem condições climáticas privilegiadas para o desenvolvimento destas plantas, sejam elas nativas ou exóticas. E todos sabemos o quanto as árvores são essenciais para a espécie humana e, por isso, devemos preservá-las e não apenas plantar por plantar”, completou Campanelli.

Fonte:O Diário de Mogi

CIDADES: IBGE inicia Censo Agropecuário no Alto Tietê

3 de outubro de 2017  Cidades, QUADRO DESTAQUE  
Pesquisadores irão percorrer áreas rurais de Mogi, Guararema,  Biritiba e Salesópolis.  (Foto: Arquivo/ O Diário)
Pesquisadores irão percorrer áreas rurais de Mogi, Guararema,
Biritiba e Salesópolis.
(Foto: Arquivo/ O Diário)isa

SILVIA CHIMELLO
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) inicia nesta semana a pesquisa para o novo Censo Agropecuário em Mogi das Cruzes, Guararema, Biritiba Mirim e Salesópolis. A coleta de dados será feita por nove recenseadores que irão percorrer todas as propriedades rurais e estabelecimentos que atuam nesse ramo nos próximos cinco meses. O último levantamento no setor foi feito há 10 anos.

Segundo a coordenadora de subárea do posto do IBGE de Mogi, Angela Yatsugafa, os trabalhos dos recenseadores acontecerão tanto na zona rural como em núcleos urbanos onde são desenvolvidas atividades agropecuárias, como no caso do Botujuru, local que concentra grande número de galpões de produtores de cogumelo.


A coordenadora explica que os recenseadores também usarão como base o pré-cadastro do Censo Agro realizado em 2006 e 2007, com o registro de 2,6 mil propriedades nos quatro municípios que serão pesquisados até maio. Ela preferiu não fazer estimativas sobre crescimento do número de propriedades, já que normalmente não ocorrem muitas mudanças no setor, a não ser de propriedades rurais que foram divididas ou loteadas nessa última década.

Nas abordagens, os recenseadores vão solicitar informações sobre área, tipos de produção e de insumo e agrotóxico utilizados, uso de irrigação, número de empregados, despesas, receitas, entre outros questionamentos. Os resultados do Censo Agropecuário 2017 devem começar a ser divulgados pelo IBGE em meados de 2018.

Um dos diferenciais neste ano, segundo Ângela, será o uso de tecnologia para as coletas de dados, por meio de um sistema inteiramente digital, com o uso de aplicativo. Os dados serão registrados por Dispositivos Móveis de Coleta (DMCs), com aplicativo desenvolvido pela Diretoria de Informática do IBGE, capaz de mostrar a imagem do setor censitário, localização, posição do recenseador no terreno e endereços dos estabelecimentos a serem recenseados e os novos que passarão por cadastros.

“O sistema tem também um GPS que mostra a posição do recenseador e a rota que ele está percorrendo. A meta para cada um é a de realizar quatro questionários por dia”, observa Ângela. Os recenseadores, que passaram por um treinamento antes do início do trabalho, estarão identificados com um boné, colete e crachá do IBGE. Para informar os produtores sobre esse trabalho e orientar a necessidade de responder os questionários, o IBGE de Mogi está solicitando a colaboração de sindicatos e associações rurais do Município. Mesmo assim, para evitar problemas e esclarecer qualquer tipo de dúvida, a pessoa pode entrar em contato com o número 08007218181.

Fonte:O Diário de Mogi

Língua Portuguesa: Caminhão da Energia chega em Guararema

Nos dias 11, 12 e 13 de outubro, das 10 às 19 horas, o caminhão "Energia da Língua Portuguesa" da EDP Brasil estará em Guararema, proporcionando novas experiências com a exposição interativa sobre rodas, no Parque de Lazer Professora Deoclésia de Almeida Mello, que fica na área central do município
Foto: Divulgação


Exposição interativa está na cidade nos dias 11, 12 e 13
Nos dias 11, 12 e 13 de outubro, das 10 às 19 horas, o caminhão "Energia da Língua Portuguesa" da EDP Brasil estará em Guararema, proporcionando novas experiências com a exposição interativa sobre rodas, no Parque de Lazer Professora Deoclésia de Almeida Mello, que fica na área central do município.
Durante os três dias, os visitantes poderão participar das ações do programa. A mostra contará com diversas atividades relacionadas ao idioma, na estrutura móvel de um caminhão. A exposição terá ao todo 300 metros quadrados (m2) e permitirá que os visitantes conheçam mais sobre os países que falam a língua portuguesa, as peculiaridades e diferenças do português falado no Brasil e em Portugal.
Além disso, os participantes da mostra saberão curiosidades sobre expressões comuns do idioma, considerado o quinto mais falado do mundo e o mais utilizado no hemisfério sul.
O projeto itinerante conta com placas solares fotovoltaicas no teto do caminhão, abordando o tema energia limpa. Painéis de LED em sua extensão ressaltam a importância da preservação dos recursos naturais e os benefícios do uso eficiente da energia.
O espaço interno do projeto conta com várias atividades divertidas e interativas com a língua portuguesa por meio de um visor 360°, onde os países poderão ser 'visitados'. Uma linha de tempo Brasil x Portugal permite conhecer mais sobre poemas famosos dos dois países, com informações dos autores, data, estilo, entre outras curiosidades.
Um gerador de sotaques permitirá a dublagem de trechos de poemas com o sotaque de Portugal ou estados do Brasil e compartilhar em suas redes sociais. O caminhão terá explicações sobre o significado de expressões usadas no dia a dia, como bicho de sete cabeças, as paredes têm ouvidos, pôr a mão no fogo, entre outras.

Fonte:Mogi News

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Editais: Contratos da avenida Kaoru Hiramatsu recebem aditivos

Uma publicação refere-se à correção dos anos anteriores, no valor de R$ 4 mi; a outra é pelo adiamento da obra
Foto: Daniel Carvalho


Um dos editais publicados é para estender prazo da obra no trecho da avenida Japão ao córrego Oropó
A Prefeitura publicou dois editais de aditamento para a avenida Kaoru Hiramatsu, na Porteira Preta. O primeiro se refere à etapa de um do projeto que contemplou a duplicação de toda extensão, implantação das calçadas e drenagem. Nesse caso, o aditivo é de valores: R$ 4.067.361,40. O segundo é para estender o prazo da fase dois da obra, que contempla trabalhos no trecho da avenida Japão ao córrego Oropó, além da construção do acesso à rodovia Mogi-Bertioga.
O secretário Walter Zago informou que o aditivo de valores da avenida Kaoru Hiramatsu é referente ao valor do contrato. "Não tem nada a ver com reajustes na obra ou serviço, o aditivo incide no valor total do contrato, que é de 2014. Tivemos correção em 2015 e 2016, por isso é aplicada a cláusula de reajuste dos três últimos anos. O pagamento será feito em 2018, em 12 parcelas, que dará cerca de R$ 300 mil por mês", esclareceu.
De acordo com Zago, a primeira etapa de duplicação da avenida Kaoru Hiramatsu já teve outro aditivo de valor. "O contrato era de R$ 13.677.205,71. Ele sofre um aditivo de R$ 3.017.102,80, o que totalizou R$ 16.694.308,51. Em cima desses valores é que incide o reajuste", acrescentou.
No caso do aditamento da segunda etapa, o secretário afirmou que ele se refere ao prazo. A expectativa era que a obra fosse concluída em setembro, o que não ocorreu, agora o prazo foi esticado por 90 dias, ou seja, dezembro. "A parte de drenagem entre a avenida Japão já foi concluída. Temos serviços que estão na fase final, com o recapeamento, remoção de postes, parte da drenagem e prestação de contas", destacou.
Para Zago, com a conclusão das obras, o endereço se tornará uma importante ligação para o município. "É um corredor que ligará a avenida Japão com a rodovia Mogi-Bertioga, facilitando o fluxo de veículos. Existe uma grande volume na região, por causa dos prédios do Minha Casa, Minha Vida, a UPA (Unidade de Pronto Atendimento)", ressaltou.

Fonte:Mogi News

Polícia Civil: Seccional descarta fechamento do 2º DP nos fins de semana e à noite

Informações davam conta também de que a delegacia de Brás Cubas poderia não funcionar mais nos feriados
Foto: Daniel Carvalho


Possibilidade foi levantada pelo vereador Clodoaldo de Moraes na sessão de ontem
O vereador Clodoaldo de Moraes (PR) falou ontem em plenário sobre o possível fechamento do 2° Distrito Policial de Brás Cubas durante os fins de semana, feriados e à noite. De acordo com ele, os rumores estão circulando pelo distrito. Em contato com o delegado seccional, Marcos Batalha, ele desmentiu os boatos e afastou a possibilidade de interrupção do serviço.
Moraes afirmou que levou o assunto para reunião do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg) de Brás Cubas. "Ouvi rumores sobre a possibilidade do fechamento do 2° DP aos fins de semana, feriados e no período noturno, o que causou estranheza. Inclusive, durante a posse do Conseg, alertei a nova diretoria. A interrupção seria por falta de funcionários. Todas as demandas e flagrantes seriam transferidos para o 1° DP".
Batalha desmentiu os boatos e informou que os serviços no 2° DP não serão interrompidos. "Não haverá fechamento. É que temos cinco delegados disponíveis para os dois plantões. O delegado José Alvarenga cogitou aposentar-se. Porém, ele desistiu da aposentadoria. Assim, tudo ficará como antes", ressaltou.
Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Segurança Pública reforçou a negativa: "Não há qualquer projeto em andamento a respeito do fechamento do plantão de unidade policial na região de Mogi".
Ainda durante a sessão de ontem, a Câmara aprovou o projeto de decreto legislativo para a comemoração do Dia Internacional do Lions Clube durante sessão solene. A proposta é de autoria do vereador Antonio Lino da Silva (PSD). Ele informou que a homenagem deve ser realizada ainda neste mês. "Neste ano, o Lions completa cem anos, é um marco importante", destacou. Atualmente, o município conta com o Lions Clube Mogi das Cruzes, Estância, Itapeti, Brás Cubas e César de Souza.
Os vereadores aprovaram também a criação da Comissão Especial de Vereadores (CEV) para promoção de ações e políticas que favoreçam o desenvolvimento tecnológico. A proposta é de autoria do vereador Caio Cunha (PV).
Fiscalização
O vereador Emerson Rong (PR) apresentou um projeto de lei que prevê a instalação de sistema de monitoramento por câmeras no local de banho e tosa de animais em pet shops. A justificativa apresentada pelo republicano é de "garantir mais proteção aos animais, aos donos e também para os responsáveis pela prestação do serviço". A proposta ainda precisa passar pelas comissões permanentes antes de seguir para votação em plenário.

Fonte:Mogi News


Suzano: Prefeitura promete retomar projeto do Parque do Mirante

Promessas de melhorias acontecem há mais de 40 anos, e plano agora é criar centro de educação ambiental
A Prefeitura de Suzano promete retormar o projeto de revitalização da estrutura edificada em forma de pirâmide para ser uma caixa dágua há mais de 40 anos na região do bairro do Sesc, que nunca se tornou o Parque do Mirante, conforme prometia o ex-prefeito Marcelo Candido (sem partido).
Segundo a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Suzano, o Instituto Ecodan está assessorando, de forma voluntária, a pasta do governo municipal para buscar diversas linhas de financiamento, inclusive iniciou contato com um parlamentar estadual para indicação de possível emenda. Durante as visitas, a organização não-governamental (ONG) "SOS Gaia" e o Instituto Ecodan perceberam a importância do mirante do Sesc e se colocaram à disposição, orientando que a revitalização deverá acontecer em etapas e de maneira articulada com outras pastas da municipalidade.
A pasta pretende criar uma unidade de conservação, por meio das informações preliminares já obtidas (caracterização e contexto histórico, com a identificação de quatro nascentes d'água no local). O plano de trabalho inclui transformar o local em um centro de referência na educação ambiental, com a promoção de atividades lúdicas e educativas. A área de cerca de 42 hectares está sob responsabilidade do poder público.
O local é cada vez mais um ponto para uso de drogas e descarte de lixo e entulho. O Dat esteve no local ontem e conferiu a situação degradante do espaço, que é invadido diariamente. "Entra todo tipo de pessoa aí todos os dias. Agora mesmo tinha uns dez adolescentes lá no alto ouvindo música alto, gritando e fazendo estardalhaço. À noite são os usuários de droga e os caminhões, que descarregam entulho, lixo, móveis e até pneus", explicou um homem que trabalha ao lado da estrutura abandonada e que preferiu não se identificar.
Dentro da antiga caixa dágua foi possível encontrar muitas garrafas de bebida alcoólica, copos descartáveis, pinos de cocaína e outros itens para uso de entorpecentes. No entorno da área, que deveria estar isolado, grandes montes de terra, blocos, pedras, lixos e restos de construção se acumulam um ao lado do outro.
Histórico
O Parque do Mirante foi prometido pelo ex-prefeito Candido em 2005. Três anos depois o próprio prefeito esteve com o famoso arquiteto Oscar Niemeyer para discutir o projeto, que nunca saiu do papel. A estrutura,construída em forma de pirâmide para ser uma caixa dágua, foi desativada há mais de 40 anos e deste então é alvo de depredação. O Dat já publicou diversas matérias mostrando a situação de abandono do local.
Em 2013, a Prefeitura, então administrada pelo prefeito Paulo Tokuzumi (PSDB), afirmou que retomaria o projeto do Mirante e no mesmo ano protocolou no Ministério do Turismo um pedido de recursos no valor de R$ 2,2 milhões para a construção do parque. A solicitação não teve andamento desde então.

Promessa de Candido em criar parque ficou no papel

"Mirante" no bairro Sesc segue sujo, abandonado e deteriorado por vândalos

Fonte:Mogi News

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Campanha Mogi + Rosa será lançada nesta terça-feira, no auditório do Cemforpe

Evento será realizado no auditório do Cemforpe e reunirá diversas atrações culturais e informativas
Por de Mogi02 OUT 2017 - 18h17

Entre as atrações preparadas para a noite está uma palestra com a médica mastologista Fabiana Leal Salgado Gama
Foto: Sabrina Silva/Divulgação


A Prefeitura de Mogi das Cruzes e o Fundo Social de Solidariedade promovem nesta terça-feira (3), a partir das 18h30, o lançamento da Campanha Mogi + Rosa, que tem como objetivo ampliar as informações sobre o câncer de mama durante todo o mês de outubro na cidade. O evento será realizado no auditório do Cemforpe e reunirá diversas atrações culturais e informativas. A participação é aberta ao público e quem quiser pode colaborar com a doação de lenços.

Entre as atrações preparadas para a noite está uma palestra com a médica mastologista Fabiana Leal Salgado Gama, que apresentará informações e orientações importantes sobre a prevenção do câncer de mama e outros cuidados com a saúde da mulher. Entre as atrações culturais estão confirmadas a apresentação do Grupo Clow Fusão e a coreografia “A Filha do Faraó”, da Paula Rodrigues Studio de Dança.

“O lançamento da campanha é apenas o início de uma série de ações que serão realizadas ao longo do mês de outubro. Como nos anos anteriores, estamos aliando informação e facilidade de acesso aos serviços para que as mulheres possam participar em qualquer parte da cidade”, explica a secretária adjunta de Saúde, Rosângela Cunha.

Durante todo o mês de outubro, as unidades de saúde estarão recebendo mulheres para a realização de coleta de Papanicolaou sem necessidade de agendamento e encaminhamento para exames de mamografia, conforme protocolo. No caso da mamografia, o Ministério da Saúde mudou as regras, e agora o exame anual é indicado para mulheres com idade entre 50 e 69 anos, desde que não tenham sintomas, nem casos na família.

Outras ações serão o incentivo à vacinação contra o vírus HPV para adolescentes de 9 a 14 anos (meninas) e de 11 a 14 anos (meninos), disponível em todas as unidades de saúde, e as salas de espera com rodas de conversa sobre câncer de colo de útero e câncer de mama e sobre amamentação. “A equipe do Banco de Leite preparou um bate-papo sobre o tema porque, além dos benefícios garantidos ao bebê, o aleitamento materno também contribui para a prevenção do câncer de mama”, informa Rosângela.

Serão realizadas palestras e encontros nos principais equipamentos de saúde com o Mãe Mogiana, Unica de Jundiapeba, UnicaFisio, Pró-Mulher e Hospital Municipal de Mogi das Cruzes. Além disso, todos os colaboradores usarão laços rosa na lapela e as unidades serão iluminadas com a cor rosa, mundialmente conhecida pela campanha de prevenção ao câncer de mama. 

Fonte:Diário de Suzano

CIDADES: Junji Abe desiste de ser candidato a prefeito de Mogi

21 de junho de 2016  Cidades, DESTAQUE  
Junji desiste da candidatura a prefeito de Mogi das Cruzes pelo PSD. ( Foto: Arquivo/ O Diário)
Junji desiste da candidatura a prefeito de Mogi das Cruzes pelo PSD. ( Foto: Arquivo/ O Diário)

O ex-prefeito Junji Abe desistiu na tarde desta terça-feira (21) da candidatura a prefeito de Mogi das Cruzes. Ele reuniu políticos e a imprensa no diretório municipal do PSD para revogar a sua pré-candidatura. Segundo Junji, o motivo da desistência é a preservação da família, que estaria sofrendo bullying com as denúncias de superfaturamento na compra de refeições para o Pró-Criança, durante o ano de 2008, quando era responsável pela administração da Cidade. “Eu repito: a minha família não pode ser vitima dessas calúnias. Enquanto pai, talvez o meu sentimento pudesse ser diferente, mas agora eu sou avô”, justificou.

Junji ainda esclareceu que a responsabilidade de sua desistência não é, sobretudo, ao ataque do Partido da República (PR) – que utilizou de sua campanha política para divulgar o envolvimento dele no esquema da compra de refeições superfaturadas – mas sim aos “ severos ataques” que ele a família estariam sofrendo nas redes sociais. “Não posso permitir que os marginais anônimos os atinja”, ratificou.


Na propaganda veiculada pelo PR, o partido afirma que o Ministério Público processou o pré-candidato por superfaturamento na compra de refeições para crianças internadas no Pró-Criança, alegando que uma refeição que custaria R$ 27 era comprada por R$ 127,70. O político, porém, confirmou nesta tarde que teve os bens bloqueados por causa da denúncia, mas que ainda não houve julgamento, e também aguarda a realização de uma perícia contábil.

“A denúncia foi apresentada de forma errada, como se uma refeição custasse R$ 127,70. No modelo que nós apresentamos, este valor se referia de oito a dez refeições diárias – às crianças e aos acompanhantes – sendo duas jantas, dois almoços, dois cafés da manhã, dois lanches da tarde, leite às crianças. Se dividirmos o valor total pelas refeições, dá menos de R$ 8 por refeição”, defendeu-se.

Abe ressaltou que a decisão também não representa nenhum anseio de apoiar o filho, Juliano Abe, ao cargo de vice-prefeito de Mogi, porque a “cidade está em primeiro plano” e, tampouco, o que o ato seja uma assunção ao cargo de deputado federal. “Eu não tenho condições de confirmar se seremos vice, com o Juliano Abe, ou qualquer outra informação. O nosso diretório vai decidir isso em conjunto. Acredito que, dentro de três ou quatro dias, teremos uma resposta”, finalizou.

O desdobramento completo da desistência de Junji Abe à pré-candidatura ao cargo de prefeito de Mogi, você confere na edição impressa de O Diário desta quarta-feira (22).

Fonte:O Diário de Mogi

CIDADES: Comissão quer detalhes da privatização da Mogi-Bertiog

1 de outubro de 2017  Cidades  
Ligação Mogi-Bertioga está incluída no projeto de privatizações anunciado pelo Estado. (Foto: Arquivo)
Ligação Mogi-Bertioga está incluída no projeto de privatizações anunciado pelo Estado. (Foto: Arquivo)

SILVIA CHIMELLO
A Comissão Especial de Vereadores (CEV) criada para acompanhar o processo de privatização da ligação rodoviária Mogi das Cruzes-Bertioga, vai se reunir na próxima quarta-feira para definir um cronograma de trabalho. O primeiro passo será o envio de ofícios aos órgãos estaduais para solicitar audiências a fim de conhecer os detalhes da proposta de duplicar e pedagiar a rota.

A informação é do presidente da CEV, vereador Clodoaldo de Moraes (PR), que nas últimas semanas vem discutindo o assunto com os moradores que residem ao longo da via, que já se posicionaram contrário a qualquer possibilidade de instalar posto de pedágio no trecho que vai até o Distrito de Biritiba Ussu.


Ele lançou até um slogan – ‘Duplicação sim, pedágio não’.¨Esse vai ser o tema da campanha que vamos fazer para demonstrar que não vamos aceitar a cobrança de pedágio na rodovia. Nosso sonho sempre foi a duplicação da estrada, mas não dessa forma. Essa é uma obra que o próprio Governo do Estado deveria assumir. Temos que pensar nas consequências que uma privatização poderá causar a produtores rurais com a cobrança desta tarifa. São questões que devem ser estudadas com a comunidade antes de qualquer medida do Estado”, diz o vereador

O presidente da CEV, integrada também pelos vereadores Cláudio Miyake (PSDB) e Jean Lopes (PCdoB), explica que os ofícios serão encaminhados à Artesp, ao Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e à Secretaria de Estado de Transportes para pedir agenda de encontros.

Clodoaldo esclarece ainda que a CEV também pretende envolver o Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) nessa discussão para fortalecer o movimento contra a privatização

Além desse tema, a CEV também pretende ampliar as discussões a respeito do problema que os moradores enfrentam em período de feriados, quando a estrada fica congestionada, deixando-os isolados nos bairros. Ele disse que a intenção é voltar a discutir propostas de caminhos alternativos pelas estradas vicinais, que poderiam ser utilizadas por algumas linhas de ônibus que servem aquela região.

A proposta do Governo do Estado, divulgada no início de agosto é o de privatizar as rodovias do Litoral Sul e Norte, entre elas, a Mogi-Bertioga.

Construção de rotatória voltará a ser discutida
A construção de uma rotatória na Rodovia Mogi-Bertioga, na altura da Vila Moraes, também  voltará a ser discutida pela Comissão Especial de Vereadores (CEV) que acompanha o projeto de privatização da estrada. Os moradores do bairro defendem a instalação desse equipamento para facilitar o retorno deles quando precisam ir para a Cidade e a locomoção em dias de grande movimento na via.


O problema começou há cerca de dois anos desde que o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) construiu as muretas para separar as pistas, obrigando os moradores a trafegarem mais de dois quilômetros para fazer o retorno e vir para a cidade. Para sair de suas casas e acessar a estrada sentido Mogi eles são obrigados a trafegar até o retorno no cruzamento da SP-98 com a Estrada Santa Rita (rotatória da Petrom).

Fonte:O Diário de Mogi

Braz Cubas, um Distrito com status de Cidade 1 de outubro de 2017 QUADRO DE

1 de outubro de 2017  QUADRO DESTAQUE  
Braz Cubas abriga cerca de 120 mil habitantes, 130 bairros e loteamentos. (Foto: Edson Martins)
Braz Cubas abriga cerca de 120 mil habitantes, 130 bairros e loteamentos. (Foto: Edson Martins)

LARISSA RODRIGUES
Os moradores de Braz Cubas se mostram satisfeitos com a infraestrutura e os serviços ofertados no Distrito, que abriga cerca de 120 mil habitantes. Para muitos deles, é o lugar ideal para se morar em Mogi das Cruzes. Com aproximadamente 130 bairros e loteamentos e, mesmo com o constante progresso, é capaz de manter o espírito de comunidade e humanidade.

O comércio, o serviço público e os investimentos no local fazem com que as poucas coisas que ainda faltam por lá sejam até mesmo esquecidas pela população local. Em dezembro a “capital de Mogi” – como é chamado por alguns – completa 64 anos e muitos destes mogianos acompanharam este crescimento do Distrito desde o seu início.


Maria da Paixão Santos é um exemplo de moradora que vem vivenciando esta evolução e que garante: não troca o Distrito por outro lugar. Aos 61 anos de idade, já está no local há 50. Atualmente, ela trabalha em uma papelaria no centro de Braz Cubas, mas mora na Vila Lavínia. “Quando me mudei para cá só tinha mato para todo lado. Hoje cresceu muito e eu gosto. Aqui é muito maior até mesmo que outras cidades. Já tentaram, inclusive, me convencer de mudar, mas eu não troco de bairro, principalmente o que eu moro. Não sei nem se mudaria de estado caso me oferecessem”, brincou ela.

Maria tem razão. Se comparado aos municípios de todo o Alto Tietê, o Distrito apresenta uma densidade populacional maior que Poá, Arujá, Santa Isabel, Biritiba Mirim, Guararema e Salesópolis. A mogiana diz que nem precisa sair de Braz Cubas para comprar algo. “Geralmente o que procuro aqui, encontro aqui. As lojas aumentaram muito e eu acho que não falta nada”, afirmou.

Já para Maria Emília Leal Martins, 63 anos, que também não dispensa elogios ao lugar, o que poderia agregar ainda mais aos moradores seria uma loja grande de eletrodomésticos. “Se precisamos comprar um celular, por exemplo, temos a necessidade de ir ao centro de Mogi. Também faltam artigos de cama, mesa e banho. Fora isso está tudo ótimo”, comentou ela, que é proprietária da loja de roupas Esquina da Moda, há 25 anos.

A comerciante acredita que os serviços ofertados também são satisfatórios. “Temos hoje o Hospital Municipal que é muito bom e que atraiu muita gente para cá. E, além disso, desde que colocaram o PAC aqui, conseguimos resolver nossos problemas com muito mais facilidade”. O Pronto-Atendimento ao Cidadão, que é de responsabilidade da Prefeitura, oferece serviços como segunda vias de contas do Semae, Procon, Cartão Saúde Municipal, elaboração de currículos e também fornece informações sobre ISS e IPTU.

Além do Hospital Municipal Prefeito Waldemar Costa Filho, o Distrito abriga as Unidades Básica de Saúde (UBS) de Braz Cubas, Vila Jundiaí e Santa Tereza; mais quatro unidades do Programa de Saúde da Família (PSF), sendo elas no Jardim Aeroporto II e III, no Jardim Planalto e no Jardim Layr; o Pronto Atendimento (PA) do Jardim Universo; a Base Descentralizada da Cure em Braz Cubas; a UnicaFisio e a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 horas do Oropó.

No quesito educação, são 29 escolas municipais, incluindo a Escola Municipal de Educação Especial (Emesp) e quatro creches, além de outras 32 unidades subvencionadas.




Se os serviços oferecidos pela Prefeitura são o suficiente para os moradores do local, Hilio Keiti Kuroda acredita que ainda falta por lá um restaurante que agrade a todos. Por isso, o dono da Padaria Jolie, estabelecido há 31 anos no Distrito, já está investindo nessa lacuna.

“A intenção é oferecer comida por quilo e com muita qualidade, para que os clientes sempre queiram voltar”, explicou. Ele finaliza afirmando que o que tem no Distrito hoje – como agências bancárias, lotéricas e mercados – já é o suficiente.

Paixão reivindica alguns serviços
Advogado, proprietário da Imobiliária Paixão e pastor da Aprisco Comunidade Evangélica. Joaquim Paixão, 77 anos, não apenas mora em Braz Cubas, mas busca viver o Distrito. Para ele, o melhor nisso tudo é poder caminhar pelas ruas do lugar e encontrar conhecidos por onde vai. Ele acredita que os cerca de 120 mil habitantes consigam ainda manter a amizade.
Paixão: 'É o melhor lugar para se morar em Mogi'. (Foto: Edson Martins)

Paixão: ‘É o melhor lugar para se morar em Mogi’. (Foto: Edson Martins)

Paixão abriu um dos primeiros escritórios de advocacia do local, em 1972. Ele ainda mantém alguns clientes desta época. “Se eles continuam comigo, acredito que seja porque confiam no meu trabalho. Mesmo depois de todo esse tempo, nos encontramos na rua. Não preciso mudar de calçada, temos uma conversa agradável. Olhando olhos nos olhos. Não tem nada melhor que isso”, contou ele, que mora em Braz Cubas desde 1965.

O advogado lembra que em todos estes anos, o Distrito tem crescido bastante e afirma que é o melhor lugar para se morar em Mogi das Cruzes. “Filiais de lojas grandes chegaram por aqui e fazem sucesso, também temos fábrica, o Hospital Municipal e muitas outras coisas. Mas eu acho que ainda faltam alguns serviços”, ponderou.

Junto ao movimento Braz Cubas em Ação, o qual integra, Paixão reivindica algumas coisas. Entre elas, a instalação de uma unidade do Bom Prato no Distrito. Com a passagem de ônibus custando R$ 4,20 fica difícil para os distritais usufruírem do serviço no Centro de Mogi. “Uma pessoa que tem R$ 8,20 para as passagens de ida e volta e mais R$ 1 para o almoço, não precisa ir até lá comer. E a pé também não dá”, exclamou.

A emancipação de Braz Cubas é uma utopia, segundo o advogado. Mas ele acredita que o lugar tem espaço para muitos equipamentos. Um outro problema apontado por ele, é a falta de estacionamento próximo à Estação da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Os usuários da Linha Coral costumam parar o carro nas ruas do entorno, ocupando vagas que poderiam ser destinadas àqueles que vão ao comércio da região. Por isso, ele luta para a construção de um estacionamento ao lado da Estação.

‘É realmente a capital de Mogi’
Administrador Regional de Braz Cubas desde 2001, Evanildo Ferreira tem a oportunidade de acompanhar de perto tudo o que acontece no Distrito. Além disso, ele é morador do local desde 1978. Em todo este tempo, ele acredita que o crescimento populacional tenha sido fundamental para que o investimento por parte da Prefeitura acontecesse.

Ferreira destaca o apoio da Comunidade nas ações. (Foto: Edson Martins)

Ferreira destaca o apoio da Comunidade nas ações. (Foto: Edson Martins)

“Devido ao grande número de moradores, as autoridades investem bastante aqui. E não só os serviços, mas como todos os setores financeiros começaram a se instalar em Braz Cubas. Isso nos ajuda muito e torna o local importante. O Distrito é realmente a capital de Mogi”, falou Ferreira. Ele acredita ainda que esta denominação vem acompanhada de características próprias. “As coisas aqui apenas dão certo porque por mais que tenha bastante gente, contamos com o apoio contínuo da comunidade. Temos a nossa identidade, que independentemente de crescimento, nunca perdemos”.

Destacando o Hospital Municipal como uma referência para todo o Brasil e como o melhor serviço de Braz Cubas, Ferreira acredita que a Administração Municipal possa investir ainda mais por lá. Na opinião dele, o que falta ao Distrito é um centro cultural, para que os moradores possam contemplar a arte de uma maneira geral, além de ser um local destinado às apresentações de escolas e também para o encontro de entidades.

Sobre as reclamações que vêm escutando dos moradores, o administrador regional diz que não são problemas muito alarmantes. “Eu acredito no trabalho do atual prefeito, Marcus Melo, e ele vem se esforçando para ajeitar as coisas e deixar tudo mais bonito. O que ainda reclamam é de bueiros entupidos, da falta de sinalização, do lixo nos córregos. Coisas deste tipo, que são corriqueiras”, minimizou.

Ferreira considera que Braz Cubas seja uma cidade dentro de outra cidade e, por isso, acredita que seja seu papel conscientizar a população para questões ambientais. Ele incentiva o uso inteligente da água, para que os moradores do Distrito façam a reutilização, evitando o desperdício.

 Fonte:O Diário de Mogi

Reforço: Alto Tietê receberá 18 policiais civis

Ao todo, 12 escrivães, três investigadores e três delegados compõem a equipe; eles serão encaminhados para Biritiba, Itaquá e Salesópolis
Foto: Daniel Carvalho


Batalha celebrou a vinda dos novos profissionais
A Polícia Civil do Alto Tietê ganhará um importante reforço nos próximos dias. A região receberá 18 novos policiais civis, nos quais 12 escrivães, três investigadores e três delegados. De acordo com o delegado da Delegacia Seccional de Mogi das Cruzes, Marcos Batalha, o reforço será dividido nas cidades que possuem mais necessidade no momento. A expectativa é que em breve o Alto Tietê possa receber outros policiais que estão no curso da Academia de Polícia.
O envio de reforço para a região foi comemorado por Batalha, que já estabeleceu o envio dos policiais para as cidades que necessitam de aumento no efetivo no momento. Ele destacou que a chegada dos policiais ocorre em hora oportuna. "Muito importante, pois estávamos com o número defasado por causa de aposentadorias", destacou.
De acordo com o delegado seccional, os municípios que receberão os novos policiais já foram definidos pela Delegacia Seccional. "Os três delegados serão enviados para Itaquaquecetuba. Parte dos policiais será designada para as cidades de Salesópolis e Biritiba Mirim para suprir a falta. Essas cidades vinham necessitando de novos policiais. Estes municípios receberão escrivães e investigadores", esclareceu.
Os policiais civis encaminhados para o Alto Tietê acabaram de concluir o curso na Academia de Polícia. A expectativa do delegado seccional é que a região possa receber em breve novos reforços. "Alguns ainda estão concluindo o Curso na Academia e poderemos receber novos policiais", destacou.
Os 18 novos policiais civis já devem começar a atuar nas cidades da região. "Os novos policiais já estão chegando na Delegacia Seccional e sendo encaminhados às delegacias da região Na segunda-feira, serão designados alguns e outros no decorrer da semana", acrescentou o delegado.
Segundo Batalha, os novos policiais ajudarão no reforço do trabalho que vem sendo executado pela Polícia Civil no Alto Tietê. "Com certeza refletirá em melhorias no atendimento à população e também nas investigações", ressaltou.

Fonte:Mogi News

Estados unidos: Secretário de Estado pede calma à Península da Coreia

Rex Tillerson está se esforçando para convencer Pyongyang a voltar à mesa de negociações
Foto: Divulgação


Relações entre Pequim e Washington são vistas como a prioridade no momento
O secretário de Estado dos Estados Unidos, Rex Tillerson, disse ontem que a situação precisa se acalmar na Península da Coreia, mas observou que cabe à Coreia do Norte interromper seus lançamentos de mísseis. Após encontros com o presidente chinês, Xi Jinping, e outras autoridades em Pequim, Tillerson disse acreditar que a China está bastante preocupada com os programas nucleares e de mísseis da Coreia do Norte, e está se esforçando para convencer Pyongyang a voltar à mesa de negociações. Ele não especificou, no entanto, como seriam essas conversações. 
"Acho que a ação mais imediata é acalmar as coisas", disse Tillerson a repórteres, referindo-se às tensões entre Coreia do Sul e Coreia do Norte. "Eles estão um pouco exaltados no momento, e acho que precisamos acalmá-los". Ao ser questionado sobre as recentes declarações do presidente Donald Trump e se a recomendação também se aplicaria a ele, Tillerson disse: "Acho que toda a discussão está acalorada no momento. Acho que todos gostariam que ela se acalmasse". "É claro que ajudaria se a Coreia do Norte parasse de disparar mísseis. Iso acalmaria bastante as coisas", disse o secretário de Estado.
Atualmente, as relações entre Pequim e Washington são vistas como mais importantes do que nunca por causa do impasse em torno das armas nucleares e dos mísseis balísticos de Pyongyang. O líder norte-coreano, Kim Jong Un, e Trump vêm trocando insultos pessoais e ameaças de guerra e não há sinal de uma solução diplomática. 
Recentemente, Trump vem pressionado a China por medidas mais duras contra a Coreia do Norte. Embora se oponha categoricamente a qualquer medida para derrubar Kim, a China parece cada vez mais disposta a endurecer sua postura em relação a Pyongyang, e concordou com novas sanções impostas à Coreia do Norte pela Organização das Nações Unidas (ONU).
Tillerson reiterou que os EUA não vão reconhecer a Coreia do Norte como uma potência nuclear, mas disse que o país não tem a intenção de derrubar o regime de Kim Jong Un.

Fonte:Mogi News

Política: Temer discute situação política com os aliados

O presidente da República, Michel Temer, retornou a Brasília no sábado para se reunir com o ministro Moreira Franco, secretário-geral da Presidência, no Palácio do Jaburu
Foto: Divulgação


Temer foi denunciado por organização criminosa
O presidente da República, Michel Temer, retornou a Brasília no sábado para se reunir com o ministro Moreira Franco, secretário-geral da Presidência, no Palácio do Jaburu. Junto com o ministro Eliseu Padilha (Casa Civil), os dois são alvo, no mesmo processo, da segunda denúncia da Procuradoria-geral da República (PGR), que começa a tramitar esta semana na Câmara dos Deputados.
Em São Paulo, pela manhã, o presidente recebeu a visita de Gaudêncio Torquato, seu amigo de décadas, que atua como uma espécie de consultor de comunicação. Temer chegou a Brasília pouco antes do meio-dia e foi para a residência oficial. Na sexta-feira, ele passou o dia em São Paulo, discutindo com assessores a situação política do governo e os desdobramentos do caso JBS. Temer, Moreira e Padilha foram denunciados pela PGR por organização criminosa
A tramitação da segunda denúncia traz preocupação ao núcleo de comando do Palácio do Planalto, mas, como na primeira denúncia, barrada pelos governistas na Câmara.(E.C.)

Fonte:Mogi News

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

CIDADES: Sede do Polo Digital é inaugurada no distrito de César de Souza

 27 de setembro de 2017  Cidades, QUADRO DESTAQUE  
Além de auxiliar empreendedores, o serviço contribuirá para a troca de experiência. (foto: Edson Martins)
Além de auxiliar empreendedores, o serviço contribuirá para a troca de experiência. (foto: Edson Martins)

LARISSA RODRIGUES
Trazer benefícios não só aos empreendedores, mas também à economia de Mogi das Cruzes. Estas são metas do Polo Digital, inaugurado ontem em César de Souza. O equipamento busca, junto ao compartilhamento de experiências de pessoas do ramo, dar um norte àqueles que têm projeto de startup em mente.

Mesmo que a sede tenha sido entregue ontem, as atividades começaram a ser desenvolvidas antes, no mês de junho. Até agora, o serviço já conta com 648 membros. “Eu conheci alguns modelos de lugares como este, em São Paulo e nos Estados Unidos, e aqui nós adequamos à nossa realidade. Foi, então, construído um conceito que ainda pode ser melhorado, adequado e aperfeiçoado a cada dia. O projeto já está em andamento há algum tempo, e contamos com um bom número de pessoas inscritas. Nós, hoje, estamos criando um ambiente para que esses membros possam se conhecer, criar e encontrar parcerias”, afirmou o prefeito Marcus Melo (PSDB).


Sobre a geração de empregos, Melo acredita que, mogianos até mesmo retornem à Cidade. “Uma coisa que nunca saiu da minha cabeça foi que gostaria de ver a vontade de pessoas – que em algum momento tiveram que sair de Mogi para procurar emprego – de voltar para cá. Nós temos todas as condições para permitir que isso aconteça em um futuro próximo. Inclusive, a tecnologia oferece uma remuneração que tem uma média superior do que outras economias do Brasil”, reiterou.

Rodrigo Garzi, coordenador do projeto, explica que uma das características da startup é o crescimento muito rápido, por isso a necessidade de funcionários pode surgir constantemente. “Pelos modelos de negócios que surgem aqui, pelo fato de ser a tecnologia a responsável pelas ‘vendas’, a empresa acaba se desenvolvendo rapidamente. A partir do momento que você cresce desta maneira precisa contratar pessoas, então, a tendência é que as startups consigam gerar mais empregos aqui na Região”, explicou.

São quatro espaços disponíveis no Polo. O Café Digital é o local onde todos os membros podem trabalhar, utilizando internet gratuita, fazer reuniões e encontrar oportunidades de negócios e parcerias. O Cowork é o espaço colaborativo onde até oito projetos, ainda em fase embrionária e selecionados pelo processo seletivo, passarão a trabalhar na modelagem e validação do negócio. Todos terão metas de evolução e avaliação periódica.

A Incubadora é destinada a 10 startups em fase de crescimento, que também precisam ser aprovadas em processo seletivo. Os empreendedores terão acesso à qualificação do time, mercado e networking, prospecção de capital investidor, entre outros. Já a Arena de Eventos comporta até 60 pessoas é gratuita e aberta a todos. Para utilizá-la é preciso preencher um formulário no site do Polo Digital, onde também estão disponíveis informações sobre o uso e participação nos outros espaços.

Para se tornar um membro do equipamento e inscrever projetos também é necessário se cadastrar no site www.polodigital.pmmc.com.br .

Treinamentos
Algumas atividades promovidas pelo Polo Digital, que foi inaugurado ontem, tiveram início em junho. O serviço, então, já trouxe conhecimento aos membros do projeto que tiveram a oportunidade de participar de um treinamento. É o caso de Washington Vale, de 38 anos, que tem a ideia de criar uma startup de monitoramento de pets, ao lado de Ariela Rangel, de 18 anos.


“Foi uma experiência positiva porque agregou tanto valores, quanto conhecimento, dentro deste trabalho de treinamento. Ele ativou em nós este lado do empreendedorismo que não conhecíamos. A atividade nos ajudou ainda a pensar diferente e nos mostrando experiências de São Paulo”, contou ele, que hoje é analista de sistemas.

Antes de participar das palestras, eles já tinham a ideia, mas ainda faltava o conhecimento na área. “Agora nós estamos acertando as métricas, para ir atrás de parceiros e investidores que se interessem pelo nosso projeto. A intenção é que no próximo ano nossa startup já seja lançada”, afirmou.

O coordenador do equipamento, Rodrigo Garzi, explica que a startup é muito mais que um tipo de empresa e consiste em um novo jeito de pensar em negócios. “O que a gente pensa atualmente, o que tem dado certo para construir isso, é a forma colaborativa. Então, é um espaço pra que as pessoas possam se encontrar, falar de negócios e, de repente, uma habilidade se complementar à outra.

Garzi diz também que o conceito utilizado aos auxiliados pelo Polo é de “mentoria”, o que difere de consultoria: “Nós da coordenação e gestão damos todo este suporte. Consultoria é quando você pega um consultor financeiro, com um caderno, uma apostila e vai em cima daquela apostila dizendo o que está certo e o que está errado. A mentoria é muito mais do que isso, nós tentamos passar a experiência dos mentores para aqueles que estão empreendendo”.

Os projetos apresentados ao Polo são testados, por um processo que eles denominam como validação. Passando por isso, eles acreditam que seja possível pensar na criação da empresa. Em quatro anos, a meta é que o Polo contribua para o surgimento de 55 novas startups, o desenvolvimento de 165 atividades e que 200 mil pessoas sejam impactadas.

Fonte:O Diário de Mogi 

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

CIDADES: Condomínio de Mogi compartilha bicicleta para estimular consumo colabotativo

24 de setembro de 2017  Cidades  
Medida também visa reduzir quantidade de bikes paradas sem uso. (foto: Edson Martins)
Medida também visa reduzir quantidade de bikes paradas sem uso. (foto: Edson Martins)

LARISSA RODRIGUES
Incentivar o uso da bicicleta como transporte para pequenos deslocamentos e também o lazer, disseminar os múltiplos benefícios da cultura de compartilhamento de bens, incentivar o bem-estar físico e criar um hábito saudável e não poluente. Estes são os fatores citados por José Alberto Saraiva Hokama, síndico do Combinatto Giardino, para justificar a importância do Projeto Bike Sharing, implantado por ele no condomínio do Nova Mogilar.

A medida pode ainda resolver outro problema facilmente encontrado nas garagens dos prédios, que é uma grande quantidade de bicicleta guardada por lá, sem que sejam utilizadas. “Eu moro em condomínio desde 2002 e este problema é recorrente em todos os lugares, vemos aquelas bicicletas amontoadas. Se elas forem compartilhadas, cada morador não precisa ter uma. Ajuda na organização e ainda na economia”, falou Hokama.


O projeto custou cerca de R$ 2 mil ao condomínio e resultou na compra do suporte, de capacetes, cadeados, além de três bicicletas devidamente equipadas com campainha, refletor e espelho retrovisor, conforme exigem as normas de trânsito. Durante os dois primeiros meses de execução, o uso dos equipamentos era gratuito, agora uma taxa de R$ 5 é cobrada, para a manutenção. Em junho, quando o Bike Sharing começou – foram 30 utilizações, em julho 58, 32 em agosto e até a última quinta-feira a contagem estava em 24.

Para o sociólogo Afonso Pola, o incentivo aos condôminos é de extrema relevância. “Eu acho este tipo de ação absolutamente importante. Principalmente para nós, que moramos em uma região metropolitana, bem ao lado de São Paulo – que é a maior cidade da América Latina e tem uma frota com mais de sete milhões de veículos – a conscientização é necessária. Do meu ponto de vista, a utilização de carros é uma perda de tempo, que aumenta a poluição, incentiva o sedentarismo e só traz malefícios. Esse projeto combate exatamente estes malefícios de uma sociedade que usa o carro de uma maneira excessiva”, opinou.

Hokama acredita que o Bike Sharing esteja ganhando popularidade e como reflexo, em alguns finais de semana, os moradores não encontram equipamentos disponíveis. Para ele, a ampliação no número de bicicletas pode acontecer, mas tudo depende das reuniões de condomínio. “Dependendo da demanda, que vamos fazendo o levantamento nestes meses de utilização, posso propor a compra de outras ou talvez a isenção da taxa de manutenção. Mas isso só entrará em discussão entre março e abril do ano que vem, que é quando acontece a Assembleia Geral”, explicou ele, que é síndico do Combinatto Giardino há quase dois anos.

Projetos como este podem ser o início de uma mudança, segundo Pola. “Na medida em que a população começa a mudar alguns hábitos e comportamentos, vai desenvolvendo outra consciência. Desta maneira vai adquirindo maior responsabilidade em relação às condições de vida do outro indivíduo, se preocupando com as outras as pessoas. E esse é um debate muito importante”, reiterou.

Além de refletir na diminuição da poluição gerada pelos automóveis, o sociólogo lembra que para a saúde é fundamental. “A expectativa de vida no Brasil vinha crescendo gradativamente e é alta até hoje, com as pessoas chegando próximo aos 102 anos. Mas as novas gerações têm hábitos alimentares ruins, o que pode causar uma diminuição dessa expectativa. Andar de bicicleta é uma maneira de melhorar a saúde e reduzir estes problemas”, disse Pola.

Fonte:O Diário de Mogi